Make your own free website on Tripod.com

Depoimento do Lulu ,do susto na decolagem
a conquista do Cristo de 24 de outubro:

Rio de Janeiro, 24.10.99

Email original do Lulu a lista Vôo livre -RJ


Hoje acordei bem cedo e já deu para perceber que a farofa da vespera iria se
repetir.Me arrumei rapidamente e parti para Sao Conrado, cheguei la por
volta de 9:15, e ja tinham dois paracas a 200 mts da rampa e um tirando para
o Crocrane, no pouso logo apareceu o Sequerra colocando pilha para subir e o
Pney falando que iria esperar o Rodrigo Slow.. depois de certa indecisao
acabei decidindo por subir com o Sequerra...
Chegamos na rampa e ja tinham uns 10 pilotos para decolar na frente, nao
perdi tempo e ja fui logo arrumando minha vela no canto esquerdo da rampa,
esperei o piloto da vez decolar, avisei a rampa de cima que iria decolar, e
la fui eu, assim que eu puxei a vela ela subiu meio torta mas consegui
compensar e entrar embaixo dela, virei de frente e tirei os pes chao...,

E aí Lulu...?

Só que assim que isso aconteceu,comecou meu drama, percebi que havia esquecido
de engatar os tirantes da perna, ja que a selete comecou a subir pelas costas,
acredito que gracas a rapida percepcao eu consegui fechar as axilas e
segurar a selete com as duas maos, mas ao mesmo tempo que ia tentando
segurar a selete eu ia ouvindo meu vario apitar, era ele apitando e eu
sacudindo e pulando tentando entrar na selete, ate que numa dessas
tentativas o lado direito comecou a fechar e eu fiquei relutando em largar a
mao da selete para pegar o batoque esquerdo e compensar. ate que ja estava
com uma assimetrica de uns 70% e nao tive outra opcao, rapidamente larguei a
mao esquerda da selete e dei uma puxada no batoque, a vela reabriu e voltou
ao vou normal e eu voltei a minha luta para entrar na selete, depois de uns
15 segundos de luta consegui sentar..e respirar mais aliviado....ai foi so
voltar para rampa, ganhar uma altura, engatar as pernas e partir para o
Crocrane, ainda bem adrenado com todo o susto, comecei a ganhar altura
chegando a 1100 mts olhei para o Sumare e vi o Marcio médico e o Mauricio
Farias ralando nas antenas, nao tive duvida, pensei comigo, depois dessa
tenho que ir pro Cristo pedir uma bencao...tirei direto, ganhei um pouco no
caminho, um pouco nas antenas, e tirei pro Cristo, conforme ia chegando eu
ia gritando OBRIGADO SENHOR, OBRIGADO SENHOR, cada vez mais alto....acho que com isso consegui descarregar a adrena...dei um tempo por ali e comecei a planejar minha volta que foi facil depois de entubar nas antenas e sair a
1200 mts..
Depois dessa prometo me policiar para adquirir o habito de engatar as pernas
antes do peitoral...

Ufaaaaa, não foi dessa vez...

[]'s lulu

rampa crowd

O Major mandou bem.

Domingo de farofa SW no Pepino.
Fila grande e dois TOP PILOTS atrás de mim!
Vou esperá-los. Pensei, mas um deles decolou na lateral enquanto eu ajudava aqueles na minha frente.
Outro estava prontinho esperando uma bobeada e puf foi-se! Vou omitir nomes para não ferir brios.

Decolagem 11:20h, em cinco minutos já do alto do Cochane vi o parapa daquele TOP tirado para o Cristo.
Perdi, imaginei que a condição poderia voltar, mas não.
O máximo de altitude era 850m, eu queria 1000m para tirar com segurança.
Veio o Emersom passou por mim e foi-se. Achei que ele não conseguiria. Ele chegou baixo nas Paineiras e subiu!
Ai não deu outra, deixei o Millan para trás e fui atrás das asas de 850m até as Paineiras direto...cheguei a dispensar  uma termal.

O Emerson chegando ao Cristo e eu logo depois. Mil fotos e beijinhos pra galera. Hora: 12:30.
Como voltar? As asas voltam pela cordilheira e o Emersom foi para o Joquei, fui atrás. Derivamos para o Leblon.
Lá quase na PUC ele achou a termal subiu tirou para ralar outra na contra encosta da Rocinha e voltar ao Golf em São Conrado. E eu na M, depois de perder a termal, pouso escolhido no estacionamento da
PUC, achei a maldita de novo, correção bendita, porque me levou de 300m a mais de 900m de uma só vez: 4,5m/s com picos de 7,5m/s, por cima das linhas de transmissão de encontro à cordilheira e às
asas. Voltei tão alto que fui direto fazer espirais acima da rampa para comemorar! Aguardem fotos!

Parabéns ao Emerson que ralou muito para ir e para voltar!
Obrigado Senhor. Obrigado São Conrado. Obrigado Turistada do Cristo.
Obrigado Colegas de Vôo, todos deveriam experimentar!
O primeiro Cristo você não esquerá jamais (leve sempre uma maquina fotográfica!)

Gilberto Lima
Vello - L - SOL
Rio de Janeiro - RJ

Foto da Rocinha

Piloto de asa despenca 200 mts ,mas sai ileso.

Sua asa fechou voando acima da agulinha e despencou batendo 2 vezes na pedra da Agulinha,isto aconteceu no final de tarde e foi presenciado por muitos que estavam na práia , na rampa e em vôo,como por exemplo o piloto Rui Marra que viu tudo de cima e foi para praia avisar as pessoas a fim de pedir socorro.
O piloto Ibsen que estava na rampa telefonou para o CGOA que habitualmente chegou rápido trazendo o acidentado no puçá.
O piloto teve muita sorte, com apenas uma fratura no femur ,que para a violência
do impacto pode se dizer que foi um grande milagre.
Em contato com a AVLRJ soubemos que o piloto acidentado ,passa bem aguardando
apenas uma regreção do inchaço da lesão,para operar a perna.


Robson e Cacau no momento dos primeiros socorros

O destaque da semana

Relato Carlos Millan (recomençando das cinzas)

Meninos eu vi.

Depois de esperar uns 45 minutos na rampa , chegou a minha vez, decolei e ganhei logo na saída, termal consistente ,botei pra cima e ganhei em cima da rampa até a altura do Crochrane. Tirei pra lá e começou a ralação ,avistei primeiro o paraca rosa e verde do Matias , piloto novato que leva muito jeito. Fui derivando e ganhei tudo ,o telefone toca, a ligação cai, não consigo falar e me desconcentro , quando dou por mm, fiquei baixo. Agora me encontro no meio da maior muvuca, com asas e parapentes rodando em direções diferentes. Retomo a concentração ,mas o vôo fica batalhado ,ficou difiçill ,voar ali era quase uma roleta russa . Depois de uma meia hora tentando ,fui a antena duas vezes mas lá sempre perdia.
Mais a frente via o Ruy Pinto, desistindo voltando pra rampa, cansado de tanta concentração ,tenção , resolvi dar um passeio pra relaxar da tensão daquele "rush aéreo" , fui junto para a rampa,saindo avistei um Proton bem novinho branco e azul. Olha quem era...?,o Emerson ,voando o seu novo bólido, me gritou ,ele chegando e eu saindo . Fui na rampa perdi, ganhei e lá fui eu de novo pro Crochrane ,as companhias neste momento agora eram outras, lá estavam o Sr. Richard ,o Major e varias asas ,recomeça aí a ralação,
era bonito demais! eu olhava pra cima via as nuvens formando, em alguns momentos cheguei a entubar... , agora já me animava para tentar uma ida ao Cristo . Mas eu via um aquele parapinha branco e azul na cordilheira perto da região das Paineiras, baixo demais ,muito baixo ,pensei o Emerson é louco. Enquanto isso eu afundava acima das torres de alta tensão ,voltando cruzei de novo com o Major que me gritou:
Tá ruim ,ehm? Não vai dar em nada...Concordei e quando voltava para a face sul do Crochrane ... Piriri! Piriri!, peguei bonito... lindo, aí já dava pra ir, chegava aos sonhados 1000 metros altura mínima para tirada,só que não sei porque amarelei feio. O que que eu fiz?Fui embora, voltei e o Major que estava comigo, foi na direção oposta, resultado final :
Ele no Cristo e eu no Quiosque.

Por isso eu destaco como os vôos da semana, o Major e o Emerson os dois foram incansáveis souberam acreditar nunca desistiram ,foram até o objetivo e voltaram.
Moral da estória :
No vôo com fé se ganha as montanhas.

foto Gilberto